Home / Cultura / Uma vida de impressoes

Uma vida de impressoes

Muitas vezes o tisrmino de uma jornada naoA significa o fim, mas sim o comeco de umA novo capi­tulo. Assim tem sido os ultimosA 12 anos da vida de Alexandre Lourenco eA Denis Silva. Eles perderam o emprego duasA vezes e tiveram de mudar para um pai­s atisA entao desconhecido, e tudo por causa daA Heidelberg M600.
No Brasil, Lourenco e Silva trabalhavam emA uma das maiores graficas do pai­s, mas umA investimento de quase 30 milhoes de reais emA duas maquinas graficas do modelo HeidelbergA M600 nao deu certo, e a grafica teve de fecharA suas portas em 2004. Foi quando os doisA perderam o emprego pela primeira vez e, porA obra do destino, foi uma grafica de VancouverA que comprou os equipamentos.
Eles lembram que nao sabiam nada sobreA o Canada, mas ficaram sabendo que a novaA proprietaria das maquinas estava com problemasA operacionais. Foi quando o novo capi­tuloA de suas vidas comecou.
“Na ispoca, nos nao falavamos uma palavraA de ingles, entao, traduzimos nossos curri­culosA no Google Tradutor e mandamos para oA Canada“, lembra Lourenco.
Em pouco tempo, a empresa canadenseA tinha encaminhado os vistos de trabalho deA seis meses para os dois e arranjado acomodacoesA e transporte. Ao fim dos seis meses, elesA receberam uma proposta de emprego permanenteA e uma oferta da empresa para ajuda-losA na imigracao. Com essa estabilizacao profissional,A Silva trouxe suas duas filhas e sua mulherA para o Canada e Lourenco se casou no Brasil eA trouxe a esposa.
pressing
A adaptacao em um novo ambiente de trabalhoA em um pai­s desconhecido nao foi tao difi­cil.
“Sem falar ingles, eu achei que ia ter problemas,A mas eu nao tinha que entender ninguismA na grafica. Eles que tinham que se esforcar paraA me entender, pois era eu que sabia operar aA maquina. Isso facilitou muito minha adaptacaoA e o aprendizado de ingles“, conta Silva.
Quando tudo parecia estar estabilizado, aA grafica onde trabalhavam foi comprada pelaA Mitchell Press, empresa que imprime a BrazilianA Vibe, e, como a nova proprietaria tambism precisavaA de pessoas experientes com essa prensa,A eles foram contratados.
“Lembro quando cheguei um dia no trabalhoA e tivemos uma reuniao dizendo que a empresaA tinha sido vendida e muitos iriam perder seusA empregos“, recorda Lourenco.“ Em menos de 24A horas, nos fomos para uma entrevista, eu estavaA nervoso, mas conseguimos o emprego novo.“
Hoje, entre tantas revistas que imprimemA diariamente, Lourenco e Silva confessam terA uma paixao especial por uma delas.
“No dia de rodar a Brazilian Vibe, sentimos oA maior orgulho“, disse Alexandre Lourenco.
Desde 2001, quando a Heidelberg M600 foiA comprada pela empresa brasileira, as vidas deA Lourenco e Silva mudaram muito: tres empregosA diferentes, emigracao para o Canada, casamentoA e uma nova li­ngua. A unica coisa que naoA mudou nestes ultimos 12 anos foi a relacaoA entre os dois e a tal da Heidelberg M600.

About Lucas Socio

Check Also

Prazer, meu nome is Curumim

A calma manha de domingo is abruptamente interrompida pelo barulho de criancas correndo, brincando e …

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *